13 de set de 2010

Cinema Brasileiro

O CINEMA NOVO iniciado na década de 60 teve o “O Pagador de Promessas” como marco inicial desta época de prosperidade cinematográfica nacional

Com a crise dos anos 70 e 80 o cinema nacional produz em alta escala os filmes com temáticas simples e caráter sexual, baixo custo e consequentemente baixa qualidade, as PORNOCHANCHADAS. Entra em cena Atlântida, Grande Otelo e Oscarito como ícones representativos dessa época.

Já na década de 1990 o foco volta a ser filmes de qualidade com objetivos de lucro. A indústria cinematográfica diversifica com produções aprimoradas e bem mais cuidadas variando os gêneros. Com a carona das políticas de incentivo, os espectadores voltam em grandes números aos cinemas para assistir os filmes da RETOMADA. O Quatrilho e Carlota Joaquina dão passagem para Fábio Barreto e Carla Camurati intitularem o início desse movimento.

Sete anos depois Guerra de Canudos abre a fila de filmes de grandes orçamentos ainda na RETOMADA.

Em 2009 chegaram as superproduções nacionais. Feitas praticamente sem recursos incentivados como “Lula o Filho do Brasil”, seguido por “Besouro”.

Finalmente ouso dizer que a nova fase do cinema nacional é definitivamente 2010, onde “Nosso Lar” a maior superprodução do cinema nacional chega as salas de cinema farta de elementos internacionais agregados desde a filmagem, música e pós-produção com efeitos especiais realizados nos mesmos laboratórios de premiados filmes americanos. O Cinema nacional usufruindo das mesmas fontes que os melhores do mundo.

Então, o que estamos esperando para batizar essa nova fase?

Alias, segundo o mestre Houaiss, ideologia é um sistema de idéias, sustentadas por um grupo social de qualquer natureza que defendem os próprios interesses e compromissos institucionais, sejam estes morais, religiosos, políticos ou econômicos.

Ele disse econômico? Então o cinema da Retomada sustenta também a ideologia econômica certo? Por que não cultural e econômica? Mas o Lula também foi cultural, político e econômico, certo? E porque não cultural, religiosa e econômica?

Marcelo Guerra

4 comentários:

  1. Olá, quero parabenizar pelo belo filme: Nosso Lar. Vai bater record de audiência. Divulgarei para os meus alunos do ensino fundamental. Eles precisam ver este filme para acordar um pouco da apatia. Um abraço a todos.

    Luciana Menz

    ResponderExcluir
  2. ESTOU DIVULGANDO O FILME NOSSO LAR NO MEU BLOG: http://eli-emagrecendo.blogspot.com/
    DÁ UMA OLHADINHA. BEIJO

    ResponderExcluir
  3. Uma pergunta puramente técnica: qual foi o fator determinante na escolha de um estúdio de efeitos especiais estrangeiro, em detrimento dos grandes e talentosos estúdios existentes no Brasil? Ah, o filme é excepcional!

    ResponderExcluir
  4. Anonimo, estrutura, experiência e capacidade de absorver TODO o projeto - que, em determinados momentos, mantinha 90 profissionais trabalhando apenas no filme.

    ResponderExcluir